terça-feira, 7 de maio de 2013

O Câncer me ensinou...

Ontem depois da palestra no Amor em Ação, eu estava sentada mergulhada em meus próprios problemas e em minhas próprias dores e lamentações, aguardando me chamarem... então quando a porta do atendimento se abriu eu vi a Sra. Marisa, mãe do menino Vitor Hugo, assassinado da porta de seu prédio, e ela estava em pé com os trabalhadores da casa... organizando o atendimento, ajudando as pessoas que vão lá em busca de auxílio. Ela perdeu seu filho a pouco tempo de uma maneira tão dura e repentina, não sou capaz de avaliar sua dor... e ainda assim estava lá, disposta a ajudar, de pé, de cabeça erguida e coração aberto... ela poderia estar em casa, se entregando a dor, em depressão ou amargurada, mas ela não estava, ela estava de pé na minha frente disposta a me ajudar de alguma maneira, eu e todos os outros que estavam ali... Ela não estava na fila para ser atendida, não estava chorando, não estava gritando sua dor para o mundo, não estava clamando por justiça ou gritando por revolta, não estava se vitimizando ou lamentando nada... ela estava simplesmente lá ajudando o seu próximo... praticando o que havíamos acabado de ouvir, COMBATENDO O MAL COM O BEM... E eu parei por um minuto de sentir minha própria dor, parei por um minuto de olhar pra dentro de meu próprio coração e me senti envergonhada diante de Deus, me senti tão pequena diante daquele lugar e da luz que recebemos lá... e quando eu entrei na sala e sentei em meu lugar, fechei meus olhos e já não tinha tanto a pedir, meus motivos para ser grata já eram tão maiores que meus motivos para reclamar da vida, e eu simplesmente agradeci a Deus por estar lá, por todos que de uma maneira ou de outra me levaram até lá, por Jesus que tanto me acalantou nos momentos de tristeza, pela Maria Santíssima que nunca saiu do lado de minha mãe durante a dor, pelos amigos do outro plano que com tanto carinho e dedicação carregaram minha mãezinha nos braços no momento da despedida... Eu vim pra casa no carro que minha mãe deixou pra mim, com meu marido e minhas filhas, recebi o presente que elas fizeram pra mim na aulinha de evangelização, segurei firme os livros que tinha nas mãos, olhei ao meu redor e entendi que a vida é perfeita sempre, que depende apenas de como eu vou decidir viver e sentir os momentos que ela me oferece... percebi que é possível encontrar amor em tudo, que mesmo diante da morte temos a capacidade de encontrar esperança, que mesmo diante da dor temos a capacidade de continuar amando e tendo fé, que mesmo quando tudo parece dizer o contrário, ainda assim Deus está ao nosso lado e me quer sorrindo e crescendo e superando e mantendo minha fé Nele... E eu me senti na obrigação de dividir isso com o mundo, de compartilhar isso com as pessoas que passam por aqui, de mostrar pra todo mundo que seja qual for o seu problema agora, nada pode ser maior que o amor de Deus em sua vida, e que ainda que tudo possa parecer doloroso e triste, ainda assim existem tantos motivos para agradecer, tantas razões para ser grato... basta que passemos a olhar com os olhos do coração, basta entregarmos nossas vidas verdadeiramente para Deus... Hoje de manhã eu olhei para o céu e decidi não sentir tristeza, eu olhei para a imensidão azul e ouvi os pássaros cantando, minhas filhas sorrindo, a vida pulsando ao meu redor... e eu sorri, agradeci a Deus por tudo, mandei um oizinho pra minha mãe e sei que ela recebeu, sei que está bem exatamente como está e que não está sozinha... Um dia, quando o momento chegar, quero abraçar minha mãe novamente e contar pra ela o quanto aprendi com sua partida, quero que ela saiba o quanto aprendi com tudo que vivemos juntas, o Câncer não foi só sofrimento para nós, foi também um despertar de amor, união e gratidão... E eu sei que minhas filhas vão um dia agradecer a ela também e sei que independente do que aconteça nós estaremos bem... porque é isso que Deus quer para todos nós... ele quer que possamos seguir sempre com amor e respeito e com fé na vida... E minha mãe vai se orgulhar de ver que conseguimos todos sobreviver inteiros a essa tempestade, que saímos fortalecidos e mais maduros... Eu não sei ainda as lições que preciso tirar de tudo que tenho vivido, ainda não compreendo o propósito de tudo, realmente não sei como mudar tudo que precisa ser mudado em mim... mas eu sei de uma coisa... eu sei que não vou desistir... A mãe do menino ontem me ensinou de uma maneira diferente, as mesmas lições que minha mãe me ensinava naquele hospital... de não se entregar para a tristeza, de não perder a fé, de independente de tudo seguir sempre em frente... e se possível com um grande sorriso no rosto e muito amor no coração. OBRIGADA !

Nenhum comentário: