quarta-feira, 30 de abril de 2014

O amor que permanece!


Eu tenho uma lembrança que sempre me tira sorrisos de alegria e lágrimas de saudade... Minha mãe está na cozinha de chão vermelho brilhante fazendo algo para comer, no rádio toca alguma música daquelas que meu vô lá no interior adora ouvir... eu passo por ela olhando para seu rosto e ela me dá um sorriso daqueles que damos para os filhos quando estamos ocupados demais para abraçar... E então vejo meu pai, sentado no degrau do meio da escadinha da lavanderia, o muro é maior que eu e não podia ver o quintal dos fundos que dava para a casa dos vizinhos, ele está com o violão preto no colo sem tocar com um pacotinho de cordas do lado... e quando ele me vê dá aquele sorriso que só quem conheceu meu pai sabe como é... Eu não lembro quando foi nem que dia era, não sei quantos anos tinha mas a imagem é muito nítida como se estivesse acabado de ver um filme. Lembro do chinelo nos seus pés, das curvas do seu cabelo, das marcas que se faziam nos olhos quando ele apertava a vista para falar... E então o tempo passa e eu já sou uma mulher, meu pai está sentado no quintal de sua casa lá em Santa Cruz e em sua cabeça já vejo as marcas e cicatrizes da cirurgia... ele está com um pé na bacia de água quente e o outro no meu colo e em seu rosto o mesmo sorriso e em seus olhos as mesmas marcas... Foi a última vez que visitei meu pai, ele me pediu para cortar suas unhas dos pés... estávamos sentados no sol em frente a roseira e ele ria e resmungava porque eu não conseguia cortar bem curtinha como ele queria. Do lado minhas filhas brincavam e na minha barriga o Fabinho já crescia... e seria tudo perfeito se não houvesse sobre nós a nuvem do fim que todos nós sabíamos que se aproximava... Lembro que olhei para ele e me veio na lembrança o dia do sorriso na lavanderia e eu levantei e pedi pra ele esperar que ia pegar um creme... lembro se secar as lágrimas e voltar sorrindo para terminar suas unhas e lembro do aperto no peito que senti ao perceber que minha mãe já não estava entre nós e que em breve meu pai também não estaria... A última vez que vi meu pai vivo ele estava acenando para nosso carro com aquele sorriso que era só dele e com as unhas dos pés bem cortadinhas, ele já não escondia a cicatriz com chapéu e parecia saber que toda a luta não daria o resultado que eu esperava... Nos nove meses que ele ficou doente eu praticamente morava com ele e foram muitas nossas conversas e muitos nossos silêncios... eu confidenciei muitas coisas pra ele e ele me falou de muitas coisas que sei que ele só falou porque sabia que em breve iria partir... algumas coisas ele falava de olhos baixos pra que eu não visse a tristeza e outras ele falou de olhos brilhantes e serenos fazendo questão de me mostrar que tinha valido a pena viver... Ele me falou das pescarias, das pequenas conquistas que ele se orgulhava, das dores que carregava, da saudade que guardava, ele me falou da minha mãe e do último dia em que eles conversaram na UTI do hospital que ela estava internada e finalmente entendi porque ela chorou naquele dia... minha mãe nunca chorava mas naquele dia ela chorou... E meu pai perguntou o que era MIMIMI e foi chorando muito que falei pra ele que MIMIMI era chorar... e ele também chorou porque disse que as últimas palavras da minha mãe pra ele foi MIMIMI... Depois dessa última visita eu não mais pude ver meu pai, um mês se passou e eu iria viajar pra ficar com ele no dia 5 mas dia 30 ele faleceu e eu corri muito para chegar a tempo mas não consegui me despedir dele. Hoje se passaram 7 meses mas ainda sinto tanta saudade daqueles dias... Meu pai me deixou muita coisa boa, muitos sentimentos bons... o bercinho e o quartinho do Fabinho eu só pude comprar porque ele me ajudou mesmo sem saber... Mas o que ele me deixou de mais importante foram suas palavras, gravadas em um bilhete escondido, perdidas até poucos dias entre as lembranças que guardava pra mim... Meu pai me deixou a certeza da confiança que tinha em mim, me deixou as confidências de uma resignação profunda, me deixou o exemplo de um ser humano único, me deixou a lição de que nem tudo precisa ser dito, a lição de que julgamentos nem sempre precisam ser feitos, de que a única maneira de ser feliz é saber olhar para o bom e fechar os olhos para o que não é tão bom assim... Meu pai me disse em suas poucas palavras o quanto me amou, o quanto amou minha mãe, o quanto amou nossa história... E me ensinou que a distância não é nada, que o que é verdadeiro permanece. Hoje, aqui na minha casa, com minhas filhas e meu filhinho no colo, eu olho ao redor e me sinto grata pelas lições que ele me deixou... A saudade é grande, a vontade de ver e de conversar são enormes, o som do violão, as curvas do cabelo, as marcas nos olhos, as palavras e até mesmo o silêncio... tudo é saudade... Mas eu carrego comigo o que de mais valioso ele tinha na vida, como ele mesmo me escreveu... o que ele tinha de mais valioso era somente de duas pessoas nesse mundo e que com sua partida seria só meu... que era nossa história, as lembranças da nossa família, o amor que nos uniu durante toda sua vida, ainda que por muito tempo distantes mas sempre vivo no seu coração... o que ele me deixou foi amor... o amor mais profundo e verdadeiro que conheci, o amor que sobrevive, que ultrapassa, que não morre, que permanece mesmo na ausência, que pulsa mesmo na distância. O amor que ainda hoje me sustenta nos dias tristes e que me impulsiona a ser uma pessoa melhor a cada dia. Algumas pessoas falam com surpresa da maneira como meu pai e minha mãe partiram, de maneiras tão parecidas e praticamente juntos... mas eu não me surpreendo... eles aprenderam o amor de maneiras diferentes, viveram o amor de maneira diferentes, me amaram de maneira diferentes mas foi de maneira igual que me ensinaram o amor... Dizem que planejamos nossa vida antes mesmo de nascer e eu fico aqui imaginando quanto amor faz uma pessoa planejar viver uma vida de amor por um filho... Meu pai, assim como minha mãe, viveram suas vidas inteiras por uma única pessoa, movidos por um único sentimento... eles viveram por mim, para me amar, para me amparar e para me ajudar a entender esse amor tão pleno e resignado... Poucos podem entender, poucos vão conseguir compreender, poucos conseguiram ver isso... mas ainda assim é o que de mais valioso eu tenho em minha vida e é isso que quero que meus filhos percebam no futuro quando buscarem em minhas palavras as imagens do vovô e da vovó... Amor...

terça-feira, 29 de abril de 2014

Alegria!

Minha vida se ilumina nesses olhares!







 

Ele me ilumina !

Você foi um presente em minha vida... chegou em um momento especialmente difícil, em um momento de tristeza e como se fosse um anjo veio iluminando tudo, trazendo alegria, transformando meu mundo, enchendo meu coração de esperança e o mais importante... renovando minha fé. Ainda dentro da minha barriga você conseguiu arrancar a tristeza do meu coração e preencher todos os espaços com esperança, felicidade e amor. Você me mostrou que a vida é sábia, que tudo acontece como tem que acontecer, que nada é por acaso e que existe tanto amor nos planos de Deus que jamais poderemos entender. Conforme você ia crescendo dentro de mim crescia também a certeza do amor de Deus por mim, afinal ele havia me dado um presente especial, o maior de todos os presentes que uma mulher pode receber... você foi minha força em muitos momentos. E quando você chegou, quando segurei você em meus braços, foi como se a vida se renovasse e tudo voltasse a fazer sentido... as lágrimas vieram com tanta gratidão e com tanto amor que levaram para longe toda a tristeza, transformando tudo em mim, arrancando as lembranças ruins e iluminando meu mundo como um sol de verão. Como me disseram pouco antes de você nascer, você é iluminado e não é por acaso que veio pra mim, criança de luz, feito de amor e que veio por vontade própria para os meus braços por amor, simplesmente por amor... Meu filho, meu anjo de amor, meu príncipe, meu pequeno pedacinho de céu... Obrigada por ter me escolhido, obrigada por vir até mim, obrigada por permitir que eu fosse sua mãe... Obrigada por tudo que você trouxe junto com você... criança de luz infinita, de amor puro no olhar, que me transmite tanta paz no toque e na presença... Parabéns pelo seu primeiro mês de vida meu querido! Hoje é sim dia de festa em meu coração... como cada novo dia que nasce com você ao meu lado... cada novo dia seu merece ser comemorado e lembrado com gratidão e amor infinitos! Te amooooooo!

Presente de Deus

O amor que uma criança transmite é algo que nem todos sabem receber. É o sopro de Deus em nossos ouvidos.. é luz que transforma. Esse é meu anjinho e o amor que ele transmite é o sorriso de Deus para aqueles que sabem sentir o seu amor. Obrigada Deus por mais esse presente em minha vida!






Cotidiano...

A vida é muito curta, o tempo passa rapidamente e nem percebemos... ficamos presos as obrigações do dia a dia e esquecemos de viver. Um bom emprego, um carro novo, uma pintura na casa, almoço e janta na hora certa, roupa passada pra todas as ocasiões... Temos hora para acordar, hora para comer, dia certo para descansar... Não podemos ver aquele filme no meio da semana, deitar com as crianças no sofá até enjoar, comer batatinha frita no café da tarde. E um dia a vida para e tudo perde a importância... e o que não tem mais importância pesa nas lembranças daquilo que deixamos de fazer. Tudo é incerto e inconstante nessa vida, um dia estamos aqui e no outro podemos ser apenas saudade e memórias... Perceber essa verdade, viver essa verdade e não mudar é impossível... Quando entendemos a fragilidade de tudo ao nosso redor passamos a valorizar mais as pessoas e esquecer as coisas... Não largo o abraço de minhas filhas porque a cama está desarrumada, não me importo se algumas contas venceram, não tem problema se o fim de semana vai ser sem grana... me dou o prazer de sentar ao sol com minhas filhas e olhar elas se sujarem de terra, me permito ficar na cama com meu filhinho olhando ele dormir até as dez da manhã... desligo a internet, nem atendo o telefone, afinal nada é mais importante que isso... hoje eu sei e gostaria de ter percebido antes... E a louça pode estar na pia, e a roupa na máquina, e o trabalho esperando e o dinheiro acabando... que eu não perco meu sorriso... sento com eles no meio da sala e passo o dia brincando de adivinhas com a Duda enquanto a Carol desenha nosso retrato e o Fabinho resmunga no meu colo... Estamos nessa vida para aprender a amar, o amor em sua perfeição é nosso único objetivo... e quando chegar a hora de partir ninguém vai lembrar da gente pelo diploma importante que conseguimos, pelo brilho dos móveis da casa, pela perfeição da arrumação do seu armário... ninguém vai se lembrar das marcas de sua roupa, de quanto você pesava, ninguém vai se lembrar dos dias que você passou naquele trabalho que odiava, ninguém vai se lembrar do seu endereço ou das estrelas no seu talão de cheques... duvido que lembrem das coisas que você guardou, de todas as coisas que você cuidou a vida inteira... mas sei que lembrarão de nós pelo amor que compartilhamos aos nossos... E se um dia eu faltar sei que minhas filhas vão lembrar dessas tardes que passamos juntas, dos filmes que assistimos juntas, das músicas que elas aprenderam enquanto me ouviam cantar... Quero que elas se lembrem das manhãs de domingo em que fazíamos o controle da TV de microfone, dos buracos no jardim que eu deixava elas fazerem, das maquiagens que eles estragaram porque eu não tinha coragem de tirar... Quero que elas achem a minha bagunça e descubram no meio dela um monte de bilhetinhos colados com lantejoulas, quero que peguem minha bolsa e achem no bolso um pedacinho de papel que elas me deram... A vida é muito curta para ser tão organizada... o tempo é curto e para alguns mais curto ainda... Não vamos mais perder tempo julgando, imaginando, esperando... Deixa a louça de lado hoje, esquece a roupa, que se dane o fogão... esconda as contas vencidas em baixo da toalha da mesa e liga uma música, abra as janelas, coloque um chinelo, bagunce o cabelo, role no chão... aproveite as pessoas ao seu redor, aproveite cada segundo ao lado delas... as coisas podem esperar mas as pessoas não... E amanhã pode ser tarde demais para aquele abraço, para montar aquele quebra cabeças, para colorir aquele desenho... para aquele "eu te amo" ... Eu li que ninguém vai embora antes de ensinar o que era preciso ser ensinado... e acho sinceramente que a ida de meus pais tão cedo para o céu me deixou essa grande lição: A vida é curta, aproveite cada segundo, ame o máximo que puder e o resto é apenas o resto, não dê tanta importância a nada que não tenha a capacidade de receber o seu amor!

Mais amor por favor!

Não há verdade, nem amor, nem lições na agressividade. Palavras e atos agressivos espalham energia densa e escura ao nosso redor. Verdades não machucam se ditas com mansidão e amor, atos não machucam se realizados com ternura e carinho... 

O uso de agressividade em nossas palavras ou em nossos atos demonstra apenas o quanto nosso orgulho e vaidade ainda são maiores que nossa amizade e amor... Antes de jogar ao vento suas verdades, antes de espalhar na terra seus gestos, procure dentro do coração uma maneira tranquila, serena e doce de faze-lo e se não encontrar simplesmente não o faça. Faça desse hábito sua nova verdade, mude, transforme-se... Todos nós estamos aqui com um único propósito, o de mudar e se não acreditarmos nisso estamos apenas criando raízes nos mesmos erros e plantando as mesmas mágoas... 

A reforma do mundo só é possível com a reforma íntima de cada um de nós e essa só é feita com amor, carinho, gratidão e amizade... de dentro pra fora, sem peso, sem críticas... A mudança só é possível naqueles que se permitem olhar com novos olhos, ouvir com novos ouvidos, falar com nova linguagem... E se você não acreditar nessa linda possibilidade jamais encontrará o amor que procura no outro, pois só vemos aquilo que carregamos dentro de nós e só sentimos aquilo que cultivamos em nossos corações. Se você só vê mentira provavelmente está vivendo na mentira, se só vê ódio provavelmente está vivendo no ódio, se só vê falsidade provavelmente está vivendo na falsidade... 

Seja a mudança que deseja ver no outro e tudo se transformará ao seu redor... aos poucos, com delicadeza e de passo em passo o mundo ficará mais leve. Eu acredito e tenho buscado!

Saudade sim, tristeza quase nunca...

A morte precoce de minha mãe e a doença do meu pai me aproximaram ainda mais da minha amiga e irmã Luciana... ninguém se fez mais presente do que ela naqueles dias tão difíceis e mesmo estando em uma cidade distante me sentia amparada pois ela cuidava de minhas filhas e aparecia na pracinha em frente ao hospital durante as intermináveis esperas para ver meu pai na UTI... Foi na casa da Lu que eu me recarreguei depois de ver meu paizinho tão debilitado naquele hospital, foram nas palavras sempre alegres dela que eu esquecia um pouco a tristeza que estava vivendo. Acho mesmo que Deus arrumou um emprego pra Lu em Ourinhos para que eu não passasse por tudo aquilo sozinha... estranho destinho que nos separou e depois nos uniu por um momento tão breve e especial de nossas vidas. Ela me disse que queria voltar pra São Paulo e eu queria ir para Ourinhos cuidar do meu pai mas não conseguimos realizar nossos planos... meu pai se foi e minha querida amiga voltou para o plano espiritual...lembro de minha amiga levando rosas brancas para minha mãe no adeus e no quanto chorei quando vi as mesmas rosas no momento de sua própria despedida... E eu fiquei por aqui com todas essas ausências e todas essas lembranças tão dolorosas... quanta saudade de tudo, quanta saudade de todos vocês que partiram tão cedo... cedo demais... Me despedir da minha mãe, do meu pai e da Lu em um espaço de tempo tão curto foi encarar uma dor tão profunda que achei que não conseguiria superar... Durante algum tempo eu não conseguia fechar os olhos sem ter na lembrança a imagem deles, sem ver lágrima, dor, sofrimento... foram dias dolorosos, solitários e de uma escuridão profunda em que quase me perdi... Hoje já consigo ver meus queridos sem dor, as lembranças são agora de dias felizes, de sorrisos e palavras de amor intenso, puro e verdadeiro... mas a saudade quando vem judia muito ainda e são nesses dias que meu coração fica apertado no peito e que a solidão parece me abraçar. Que saudade da minha mãe, meu Deus que saudade dela em minha vida... que saudade do meu paizinho tão querido... que saudade da minha amiga e irmã Luzão... Meu mundo ficou mais triste sem vocês e mesmo nas maiores alegrias ainda encontro um pontinho de dor no vazio que vocês deixaram... Viver essa dor me feriu profundamente, transformou de maneira absurda a maioria das minhas certezas, modificou para sempre quase todas as minhas convicções... Fico aqui imaginando vocês em um lugar tão mais bonito, com pessoas tão mais bonitas e vivendo verdades tão maiores do que meu pensamento pode imaginar... imagino luz, paz, imagino amor e é nessa certeza que busco forças para continuar encontrando sentido nisso tudo que foi tão sem sentido... Fé foi o que ficou, saudade, lembranças e a certeza de que não vale a pena viver se não pudermos tocar os corações dos que amamos... De todas as lições que vocês me deixaram a maior delas é de amor... e sou grata por ter tido o privilégio de conhecer o amor na imagem de pessoas tão especiais como vocês... Recebam meu amor, que hoje é mais profundo e grato do que antes e meu pedido de desculpas por não ter dito antes, por não ter percebido antes... o quanto vocês foram importantes em minha vida. Todo meu amor, hoje e sempre... Hoje o dia foi de saudade, hoje o dia foi de lembranças...

sexta-feira, 25 de abril de 2014

Procurando antigos amigos

Adriana, Andreia, Marcelo, Cleide... Uma grande amiga me escreveu por aqui mas não deixou link para que eu pudesse localiza-la. Peço que se entrar novamente me deixe um link, um telefone, e-mail, face... para que eu possa encontrar vc! Que saudade, quanto tempo e que vontade tenho de reencontrar vocês. Adriana Bezerra da Silva, Marcelo, Andreia, Cleide, Edna... se entrarem aqui novamente me adicionem no face https://www.facebook.com/paulacbarbosafernandes  ou me mandem um e-mail no paulacbfernandes@gmail.com. Infelizmente nem todas as notícias são boas... como vocês viram minha mãe partiu para o plano espiritual faz mais de um ano... mas carrego a certeza de que ela está bem e muito bem acompanhada lá no céu! Entrem em contato, vamos nos encontrar e matar a grande saudade da época tão boa em que estávamos todos juntos! Mil beijos e aguardo contato de vcs!

quarta-feira, 2 de abril de 2014

Fabio Roberto, nosso novo anjinho!

Nosso anjinho chegou no dia 27 de fevereiro de 2014, 5 horas da tarde! 
Por hoje deixo algumas fotografias e depois escrevo
 mais sobre nosso pequeno pedacinho de céu!