segunda-feira, 22 de abril de 2013

Saudades de minha mãe, saudades de minha melhor amiga !

Como será lá no céu ? Como será que é dividido o tempo ? Será que existe a semana, o domingo, a segunda feira ? Será que amanhece e anoitece ? Será que existem horários para trabalho e descanso... e horário de almoço será que existe ? Quantos amigos eu tenho por lá... quantos olham por mim... quantos torcem por mim... Será que minha mãe pode me ver, ouvir meus pensamentos de amor e gratidão ? Será que ela sente minha alegria, será que percebe meu esforço para ser como ela queria que eu fosse ? Imagino a saudade que ela deve sentir das meninas e de mim e de nosso pequeno mundo, imagino o quanto ela deve rezar por nós e pedir a Deus que possamos ficar bem por aqui... Eu sigo a vida, toco o barco, caminho como sempre caminhei... Busco seguir com sabedoria o meu coração, busco melhorar meus pensamentos, amenizar meus temores, acalmar meu coração... as vezes é fácil e as vezes é muito difícil mas eu não paro, não estaciono... não me permiti um dia de tristeza... talvez algumas horas do dia ou da noite, mas nunca permiti que a saudade tornasse a vida triste. São quase 4 meses sem ela e é estranho porque ao mesmo tempo que parece uma eternidade também parece que foi ontem que estávamos rindo juntas de tantas coisas... E ao mesmo tempo que continua tudo igual também está tudo tão diferente... O dia acorda cedinho e a rotina não deixa espaço para muita coisa mas as horas passam em outro tempo, as coisas acontecem com um gosto diferente... Eu sinto falta da minha mãe e por mais que as pessoas me falem pra esquecer, por mais que me digam que acabou eu não consigo deixar de sentir... São 35 anos de amizade... ela me carregou em sua barriga, me amamentou mesmo com o peito sangrando... ela cuidou de mim com carinho e dedicação, dormiu anos do mesmo lado da cama virada pra mim para eu poder segurar em sua orelha a noite... rs... ela sempre contava essa história... Ela me levava a escola, chorou no meu primeiro dia de aula, levava sapatos secos quando eu molhava as meias na chuva... ela ficava no portão até eu subir o ultimo degrau e sumir no corredor das salas de aula... Ela me ajudou a crescer, secou minhas lágrimas, comprou uma lousa pra me ajudar quando eu confundia o m com o n ... Era ela e eu, o tempo todo, durante muito tempo eramos somente ela e eu... Ela ficou em silêncio quando eu me apaixonei pelo primeiro cafajeste e permitiu que eu chorasse e me levou pra balada pra eu esquecer... rs... Conheceu meu primeiro namorado, arrumou meu primeiro emprego, amassou meu maço de cigarros e gritou como uma louca quando comecei a fumar... ela conhecia minhas amigas, conhecia minhas loucuras... me deixou ser criança depois me deixou ser jovem e curtiu comigo todas as fases... sempre.... Namoramos juntas, saímos juntas, amadurecemos juntas e sossegamos juntas... Ela organizou meu casamento, meus partos, minha casa, minha vida... e durante todo o tempo permaneceu ao meu lado mesmo quando eu nem percebia que ela estava lá.... E quando o bicho pegava e eu não sabia pra onde correr era nela que eu encontrava a solução pra tudo... sempre... Se meu coração estava partido o dela também estava e se meus olhos estavam alegres os dela também estavam... Fizemos muita bobagens juntas, quebramos a cara juntas e aprendemos juntas a sempre ser fortes e justas e honestas... Não havia mais ninguém no mundo que me entendesse como ela, que conhecesse meu coração como ela... Quando as minhas filhas tinham problemas ela era a única que sofria como eu, que amava como eu... quando elas aprendiam algo novo ela era a única capaz de se emocionar comigo... Quando meu marido conseguiu o primeiro bom trabalho ela chorou e quando eu conquistava algo ela me apoiava... sempre... Ela me telefonava o tempo todo, me contava cada pedacinho do seu dia e eu pra ela... Quando eu estava triste, confusa ou perdida ela me ouvia e no dia seguinte me ligava pra saber se eu estava melhor... Passamos os últimos meses mais unidas do que nunca e quando ela dormia eu olhava pra ela e sentia meu coração ficar pequeno no peito... tinha tanto medo de viver sem ela... e quando ela se foi eu fiquei tão só e não tinha a menor ideia de como seguir... ainda não tenho... e é tão injusto o mundo exigir que eu a esqueça, que apague dos meus dias a minha melhor amiga, a minha companheira por 35 anos... Eu acordo cedinho e essas perguntas ficam na minha cabeça... Onde está minha mãe ? Será que ela já acordou ou será que nem dormiu... como está minha mãezinha... Eu tenho fé, creio em Deus e sei que Jesus jamais abandonaria minha mãe... mas a saudade é tão grande as vezes que nada parece poder cobrir esses espaços... e dói... dói na garganta, como quando engolimos um pedaço grande demais de carne... dói no estômago como quando passamos muito tempo sem comer... dói no coração... E por mais que tantos amigos queridos me digam para não sentir eu continuo sentindo... E sinto falta de tantas coisas e tenho medo de tantas outras... Perder pessoas que amamos num espaço tão curto de tempo não é fácil... eu perdi duas grande amigas e perdi um pedaço de mim quando disse adeus a elas... e hoje eu não sei onde elas estão e isso me deixa tão triste e solitária... Eu temo pelo futuro, por meu pai, pela sua recuperação... e todas essas coisas eu tenho que carregar sozinha em meu coração e é tão injusto e solitário... Hoje está um dia lindo e tudo está como sempre foi... mas meu coração já não consegue ter a mesma alegria... e por mais que eu saiba que mil mensagens chegarão até mim dizendo pra ter força, pra ter fé e pra esquecer... ainda assim parece uma missão difícil demais pra eu conseguir sozinha... A casa está vazia, o silêncio é tão intenso... e não há cura pra isso, não existem opções, não ha nada que eu possa fazer para trazer de volta o que antes existia... Tudo que eu posso fazer é seguir e é o que tenho feito, com esperança e com um sorriso no rosto... com fé em Deus e lutando contra a tristeza... mas esquecer eu não consigo... e de vez em quando eu choro sim, choro por tanta coisa que não poderei viver mais, por tantas coisas que sei que não terei ninguém pra dividir... Resta minha oração, meu desejo profundo de que ela esteja bem, minha gratidão eterna por seu amor e minha fé de que um dia nos encontraremos novamente e tudo será mais simples, mais fácil e menos solitário... Não sei se aí no céu é segunda feira mãe, mas que seja um dia de luz pra vc, um dia de vitórias e superações... que seja um lindo dia pra vc e que algum anjo bom possa te levar meu beijo de amor. As meninas e eu te amamos mais que tudo e jamais esqueceremos seu sorriso, sua força e seu amor... Que o tempo seja bondoso conosco e que a certeza do reencontro possa acalmar nossos corações. Te amo muito viu, sinto muito por não ter falado isso mais vezes pra vc... Fica com Deus e até logo.

Um comentário:

Bianca disse...

Lindo texto! Não te conheço pessoalmente, mas minha mãezinha também partiu há pouco e lendo sobre saudades na internet encontrei seu blog. Sei que esse seu texto é do ano passado, mas coincidentemente, leio quando faz quase 4 meses que ela se foi. Tenho sentido muito do que você descreveu no texto e concordo: dói muito! Também sigo em frente porque é o que ela gostaria, mas a saudade é grande e me faz chorar muitas vezes. Que Deus te conforte e dê forças para seguir em frente! Bianca.