terça-feira, 15 de julho de 2008

Fraternidade

Sem que o Sol guarde a Terra e sem que a Terra inteira
Obedeça ao Senhor, de segundo a segundo,
Estendendo o seu manto amoroso e fecundo,
Ninguém recolheria os dons da sementeira.
Sem que a semente desça ao vale negro e fundo,
Morrendo por servir aos júbilos da leira,
E sem que o lavrador se confie à canseira
Não há bençãos do pão nos celeiros do mundo.

Sem a glória do bem cantando em toda estrada,
A vida rolaria estranha e desvairada
As furnas abismais do Universo atro e mudo...

Assim também conosco, em plena luta humana,
Sem a Fraternidade esplêndida que irmana,
Tudo é miséria e dor na frustração de tudo.

AMARAL ORNELLAS

mensagem recebida por Francisco C. Xavier,
extraído do livro "Relicário de Luz"

Nenhum comentário: