quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Meu pai e o pai de minhas filhas




Meu pai é quieto, sempre foi... até para abraçar é difícil, as vezes passamos meses sem nem ao menos um telefonema... Quando eu era pequena ele tocava violão pra mim e deixava eu fazer penteado no seus cabelos. Quando eu fiquei maior ele apenas sentava do meu lado no degrau da escadinha da casa da minha avó... Somos parecidos em muitas coisas, segundo minha mãe, até mesmo na maneira de sorrir ou a
ndar, mas acho que somos mais parecidos na maneira de sentir... as vezes parece até que não sentimos... as coisas ficam guardadas lá dentro e quase ninguém consegue ver... Mas eu conheço meu pai, sei que assim como eu ele faz e sempre fez o melhor que pode... e até nisso somos parecidos. Sinto saudade daquele tempo, quando eu era pequena e sentava na lavanderia de chão vermelho ouvindo meu pai tocar violão enquanto minha mãe assava um peixe na cozinha... Meus primos brincavam comigo no quintal e tudo era tão simples... Hoje minhas filhas acordaram e ficaram desenhando um presente para o Fabio e depois brincaram com ele e com os primos no quintal da casa da vó... eu olhei pra elas e pedi a Deus que elas pudessem sempre ter essa lembrança, simples e bonita... e que um dia quando forem adultas possam continuar vendo ele assim, da mesma maneira que vejo meu pai, fazendo o melhor que pode e sendo um bom pai. Eu li em algum lugar que "no final somos todos iguais em tempos diferentes" e hoje tive certeza disso... cada um no seu tempo, cada um da sua maneira, no final todos apenas tentamos fazer o melhor. Te amo pai e te amo Fabio... meu pai e o pai das minhas filhas... os dois homens que tanto se parecem comigo... dois pais que eu admiro muito e que amo incondicionalmente !

Nenhum comentário: