quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Os bons morrem jovens... Saudade sem fim!



Quando terminei o ensino fundamental, na época, a chamada oitava série, pedi a minha mãe para mudar de escola... Era uma escola tradicional e particular, que apesar do ensino impecável, já me incomodava devido a grande quantidade de crianças e adolescentes fúteis e materialistas. Minha única amiga, a Marina, ia se mudar para Pernambuco e eu definitivamente não queria continuar sozinha naquela escola. Fui para uma pública, escola de bairro, pequena se comparada a que eu estudava... foi assustador encarar tanta coisa nova pois por toda minha vida havia estado na mesma escola e na mesma rotina. Mas já no primeiro dia, no meio do pátio lotado, eu conheci a Lu... e foi tão natural e espontânea a nossa amizade, que em pouquíssimo tempo ela já era minha melhor amiga... e desde aquele dia nunca mais deixamos de ser ... A Lu sabia de tudo, vivia tudo comigo, estava sempre na minhas histórias e descobertas... estava sempre na sua casa, seus amigos viraram meus amigos e os laços que me uniam a ela eram cada vez mais fortes e verdadeiros... A primeira paixão, o primeiro amor, a primeira viagem sozinha, a primeira bebedeira, a primeira fossa, a primeira balada... quantas primeiras coisas na minha vida eu vivi com ela... quantas pra sempre guardarei no meu coração... Éramos malucas, éramos jovens descobrindo o mundo, éramos tudo que queríamos ser, fazíamos tudo que sentíamos vontade de fazer... rir a tarde toda, sair sem rumo... com ela fui até o paraguai! kkkk O tempo trouxe responsabilidades, faculdade, emprego, namorados, outros amigos, outras histórias... mas a Lu continuava presente em tudo, atuante, participando e vivendo comigo cada novo caminho que a vida me apresentava. Quando aprendi a compreender a energia da natureza me lembrei dela, que abraçava as árvores... lembrei de nós duas procurando as pedras que ela havia enterrado no chalé de sua tia...rsrsrs... No meu casamento ela estava lá, no nascimento de minhas filhas, nos momentos de dor absurda ela estava lá, com suas rosas brancas e silenciosamente me abraçando... a Lu sempre estava lá... sempre. O que vivi com a Lu eu jamais esquecerei, são coisas que fazem parte de minha história, de minha formação, de minha essência... Podíamos ficar tempo sem se encontrar mas nunca sem se falar, sem participar uma da vida da outra... apesar da distância quando mudamos de cidade, apesar da vida corrida, dos caminhos tão diferentes que tomamos, apesar de tantas separações nós nunca nos separamos... Minha melhor amiga, minha irmã, minha confidente... Como você me ajudou quando perdi meus pais, como sua presença fez toda a diferença naquele momento tão difícil... Lembro de ver você chegando na porta do hospital em Ourinhos e de como eu estava me sentindo sozinha e perdida antes de vc chegar. Lembro de você chegando na despedida da minha mãe e de como por um minuto, no seu abraço eu consegui me sentir um pouco menos devastada... Suas palavras tão doces, buscando me tirar da tristeza, me mostrar um lado da vida que eu naquele momento não conseguia ver... Foi na casa da Lu que eu encontrei refúgio quando estava sozinha numa cidade distante e sem ninguém pra cuidar de minhas filhas... ela chegava do trabalho e me recebia, ficou com minhas meninas para eu ver meu pai na UTI, e quando voltei me abraçou forte, me sustentou tantas vezes... Minha amiga, de tempos de alegria intensa e de dor profunda, vivendo ao meu lado tantas emoções e sentimentos... sempre alí, sempre perto... sempre... Quando vc partiu eu não podia acreditar, não fazia sentido, minha melhor amiga, minha irmã nessa vida estava partindo... e eu não podia aceitar. Aahh Lu, Luzão... quantas coisas amiga... o mundo ficou menor sem você aqui, eu fiquei mais silenciosa sem você, nunca mais tantas coisas, nunca mais tantas conversas... nunca mais tive uma melhor amiga como você era... Perder meus pais e perder você em tão pouco tempo foi como perder um pedaço de minha vida, de minha história... porque com vocês se foi um pedaço de mim que só podia existir se dividido com vocês... Hoje sonhei com você e acordei com tanta saudade, com tanta vontade de te ligar, te chamar no chat do face e contar minhas coisas... tanta coisa amiga, que só você saberia ouvir... Te amo minha amiga, te amo como a uma irmã, te amo e sinto profundamente a sua falta... mas sei que esse mundo era pequeno pra vc e que deve estar em um lugar tão melhor... Guarda aí essa cartinha, como vc guardou outras minhas...rsrs... E daí de cima, de onde as coisas devem fazer mais sentido, receba meu abraço e me levanta do chão, como você costumava fazer... abre aquele sorriso e fala como sempre falou... "Ohhh Paulinha"

Nenhum comentário: