quinta-feira, 7 de março de 2013

A morte não existe !



Ontem em uma palestra eu ouvi que somos todos viajores, não estamos aqui por acaso... planejamos essa viagem cuidadosamente, escolhemos os companheiros, escolhemos os lugares por onde iríamos passar... desejamos fazer essa viagem, buscamos orientação, marcamos o dia e partimos com o coração cheio de esperança e vontade de crescer, de melhorar... Nunca vamos sozinhos, uma legião de amigos e irmãos partem na mesma direção e com o mesmo objetivo, uns partem antes para ir plantando o jardim e preparando um lar para nos acolher, outros ficam e aguardam o momento de embarcar, outros ainda abrem mão da viagem e ficam em casa cuidando de longe, orientando amorosamente os que se foram, aguardando anciosamnte seu retorno. Quando saímos sabemos que nem tudo será fácil, sabemos das dificuldades e dos perigos, sabemos que a saudade de casa vai incomodar durante todo o tempo mas sabemos também que tudo será tão bonito e grandioso que valerá a pena seguir... Vamos em busca de coisas que precisamos viver, de lugares que precisamos passar e de pessoas que esperam por nós ... Como jovens que deixam seus lares e partem para universidade nós partimos e com a euforia dos jovens nós passamos a maior parte do tempo, as vezes até esquecemos pra que viemos, as vezes nos perdemos e nos afastamos do grupo mas uma hora ou outra acabamos encontrando nosso caminho e daí tudo vai ficando mais óbvio e mais claro... Nessa viagem cada um tem seu tempo de permanência, cada um de nós só permanece o tempo que precisa permanecer... e quando chega novamente a hora da despedida sentimos o coração apertado por termos que nos afastar novamente de quem amamos... a saudade de casa fica maior quando vemos nossos companheiros de aventura retornarem ao lar e tudo perde um pouco o sentido... Mas é nesse momento que o amor se transforma em remédio e quando imaginamos a alegria de nossos companheiros chegando em casa e abraçando os que ficaram, conseguimos até sorrir... passamos a sentir saudade com alegria e gratidão, lembramos com carinho de todos as estradas que pegamos juntos, de todas as lições que aprendemos, de todo amor que compartilhamos... e olhamos para o céu como marinheiro que olha pra o mar, na certeza do reencontro... Minha mãe Marisa Valle veio para essa viagem antes de mim, preparou um lar, uma família, me deu um corpo saudável e encheu meu coração de amor por todo o tempo que permaneceu aqui... ela me mostrou as estradas que eu precisava seguir, me apresentou as pessoas que eu precisava conhecer, me ajudou a receber minhas filhas com amor e dedicação, me orientou, me amparou, me fortaleceu... ela sabia de seu breve retorno, tinha urgência em amar e aproveitar a viagem e talvez por isso tenha recebido tão cedo sua passagem de volta pra casa... E assim acontece com tantos que passam brevemente pelas nossas vidas... amigos antigos, irmãos amorosos que vieram conosco nessa viagem para nos ajudar e nos orientar, para dividir alegrias, aprender as mesmas lições, plantar as mesmas sementes... E não devemos lamentar essas "perdas", não devemos vitimizar os que ficam... Toda viagem é assim, sempre partimos e sempre retornamos... é natural, deve ser natural... Eu tive a grande sorte de encontrar nessa minha viagem pessoas maravilhosas, pessoas que com certeza são antigos companheiros... pessoas que amo profundamente e que sempre vou amar... alguns permanecem aqui do meu lado, alguns precisaram ir por outras estradas, alguns precisaram voltar pra casa... E nada é triste, nada é definitivo... tudo faz parte de algo muito maior, de um amor incompreensível para nós que viajamos, de um plano maravilhoso e perfeito... Eu contínuo minha viagem, sigo meu coração e mantenho meu caminho... e como marinheiro que olha para o mar eu olho para o céu... com esperança, gratidão e amor... Te ama mãe, te amo minha 

Nenhum comentário: